Magazzine

OUTUBRO ROSA

22 Nov

O mês internacional de conscientização para a prevenção do câncer de mama.

O câncer de mama é um dos tipos mais comuns em mulheres. Ocorrendo uma anomalia nas células da mama, elas se multiplicam e acabam formando o tumor. Por isso, o mês de outubro é conhecido mundialmente pelas campanhas de conscientização para a prevenção do câncer de mama, proporcionando mais informações e conhecimento sobre a doença. Confira:

O QUE É O CÂNCER DE MAMA?

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células anormais da mama, que formam um tumor com potencial de invadir outros órgãos. 

Há vários tipos de câncer de mama. Alguns têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem lentamente. A maioria dos casos, quando tratados adequadamente e em tempo oportuno, apresentam bom prognóstico.

O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. 


Fonte: INCA - Instituto Nacional de Câncer

DETECÇÃO

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim a possibilidade de tratamentos menos agressivos e com taxas de sucesso satisfatórias.

Todas as mulheres, independentemente da idade, devem ser estimuladas a conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres.


Fonte: INCA - Instituto Nacional de Câncer


DIAGNÓSTICO

Um nódulo ou outro sintoma suspeito nas mamas deve ser investigado para confirmar se é ou não câncer de mama. Para a investigação, além do exame clínico das mamas, exames de imagem podem ser recomendados, como mamografia, ultrassonografia ou ressonância magnética. A confirmação diagnóstica só é feita, porém, por meio da biópsia, técnica que consiste na retirada de um fragmento do nódulo ou da lesão suspeita por meio de punções (extração por agulha) ou de uma pequena cirurgia. O material retirado é analisado pelo patologista para a definição do diagnóstico.


Fonte: INCA - Instituto Nacional de Câncer

TRATAMENTO

O tratamento varia de acordo com o estadiamento da doença, as características biológicas do tumor e as condições da paciente (idade, se já passou ou não pela menopausa, doenças preexistentes e preferências).

As modalidades de tratamento do câncer de mama podem ser divididas em:

- Tratamento local: cirurgia e radioterapia.

- Tratamento sistêmico: quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica.


Fonte: INCA - Instituto Nacional de Câncer

PÓS

Muitas mulheres após o tratamento ficam com a autoestima mais fragilizada, por conta da perda de cabelo (efeito do tratamento) e em casos mais graves a mastectomia (remoção da mama). Pensando nisso a marca Holytop! desenvolveu um projeto focado nessas mulheres, a linha Mama. Confira:

MAMA POR HOLYTOP!

Esse projeto tão especial, pensado e criado com um amor imenso, nasceu de um encontro precioso com o Oncoguia, ONG que apoia, informa e defende os direitos dos pacientes com câncer com o propósito de fortalecer, encorajar e guiar pessoas que convivem com o diagnóstico para que eles passem por esse desafio da melhor forma possível.

Um encontro que nos mostrou que sim, havia muito a ser feito pelo cuidado e resgate da confiança e feminilidade de mulheres que realizaram um procedimento cirúrgico, como a retirada parcial ou total da mama, como parte de seus tratamentos de câncer de mama.


O passo seguinte foi mergulhar a fundo em um projeto de pesquisa com mulheres em tratamento. Essas mulheres incríveis abriram suas almas e suas vontades, contaram suas necessidades, aquilo que buscavam e não encontravam... Tudo foi analisado com muito cuidado, carinho e respeito.

O resultado? Foram criados tops com base em todas as necessidades especiais apontadas por elas. Nascendo assim a Linha holytop! Mama, que se tornou um símbolo do valores e crenças da marca.

COMO TUDO COMEÇOU?

Queria encontrar uma forma de poder agradecer sem parecer "exagero", mas a acredito que a melhor maneira seja a sinceridade mesmo.

Desde a minha primeira cirurgia, há 7 anos, nunca tinha encontrado uma peça (sutiã, top etc) que pudesse me trazer uma sensação de normalidade após o diagnóstico e, principalmente, feminidade. Foi então que, desde os meus 23 anos, passei a usar os clássicos - e apenas eles - sutiãs de vovó. rs

Pode parecer besteira, mas isso teve um impacto muito significativo na minha vida. Procurei muitas lojas e sempre fui jogada de um extremo para o outro: ou os super sensuais sem bojo simples e sem ferrinhos, ou os extremamente simples na cor bege, mas com o bojo que preciso para não machucar e incomodar a pele. Minha última compra de sutiã foi em um supermercado...rs

Quando a Lu me entregou a sacolinha, minha primeira reação foi a de espanto. "Não acredito que a Chris pensou em mim"... Depois (e até agora, confesso), fiquei muito, muito emocionada. Pode parecer realmente algo simples, mas hoje você me devolveu uma parte que estava muito, muito esquecida e de lado.

Estou no terceiro mês da minha última cirurgia (retirei a outra mama em outubro) e nem acredito que amanhã usarei algo tão especial...

Obrigada pelo presente e muito obrigada por esse resgate.

Tenho certeza de que esse sentimento de hoje será devolvido de muitas outras formas tão lindas quanto.


Por Evelin Scarelli

CONFIRA A COLEÇÃO

ENCONTRE O LOOK

ENCONTRE O LOOK


você também vai gostar