Magazzine

DEZEMBRO LARANJA: MÊS DA CONSCIENTIZAÇÃO DO CÂNCER DE PELE

22 Dez

Entenda como o tipo mais comum de câncer no Brasil se manifesta e a importância da prevenção e do diagnóstico precoce

O último mês do ano é conhecido, na área da saúde, como Dezembro Laranja, período dedicado à conscientização do câncer de pele. A doença é o tipo mais comum de câncer no Brasil e responde por mais de 30% de todos os diagnósticos no país, somando cerca de 205 mil novos casos registrados nos últimos oito anos, de acordo com um levantamento da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Para entender como a doença se manifesta e as formas de se prevenir, conversamos com Guilherme Gadens, médico dermatologista e assessor do departamento de oncologia cutânea da SBD. Confira!

O QUE É O CÂNCER DE PELE

É quando as células que compõem o órgão têm um crescimento anormal e descontrolado causado pelo efeito cumulativo da exposição solar ao longo da vida. Os tipos mais comuns são o câncer de pele não melanoma, que possui grandes chances de cura se diagnosticado no início; e o melanoma, o mais agressivo e que tem como maior fator de risco a hereditariedade.


COMO SE PREVENIR DO CÂNCER DE PELE

De acordo com o médico Guilherme Gadens, a melhor forma de se proteger é minimizar os efeitos do sol desde os primeiros anos de vida. Para isso, o uso do filtro solar é essencial - diariamente e na quantidade correta. É recomendado também evitar a exposição ao sol nos horários de pico, entre 10h e 16h, manter-se à sombra e utilizar chapéus, bonés, óculos escuros e até roupas com FPS.

DIAGNÓSTICO PRECOCE

Além de todos os cuidados na prevenção, é indicado, pelo menos uma vez ao ano, consultar um médico dermatologista para realizar o exame preventivo. O diagnóstico precoce é fundamental, por isso, procure se atentar ao surgimento de pintas no corpo, se elas se alteram ou se fogem do padrão das que você já possui. Sinais avermelhados e/ou feridas que não cicatrizam também devem ser acompanhados. “Sempre que notamos alguma mudança em uma lesão pré-existente, seja no formato ou na coloração, isso deve ser um sinal de alerta”, ressalta o especialista. Para auxiliar na identificação, uma sugestão é seguir a Regra do ABCDE, preconizada pela SBD. Na dúvida, procure sempre um dermatologista!


Imagens: ABCDE - Fonte: SBD/Divulgação e Exame - Foto: SBD/Divulgação 

GRUPOS COM MAIOR RISCO DE DESENVOLVER A DOENÇA

Como a exposição solar é um fator relevante, pessoas com pele, olhos e cabelos claros têm mais risco de apresentar a doença, assim como indivíduos com maior sensibilidade ao sol. Idosos, devido aos danos cumulativos causados pela radiação ao longo da vida, e pessoas com histórico familiar também fazem parte do grupo de risco. “Mas é importante ressaltar que o câncer de pele não está restrito a estes indivíduos e pode surgir em qualquer idade, até mesmo na infância e na adolescência. Apesar de raro, pode ainda acometer pessoas de pele morena e negra”, diz Guilherme. A Sociedade Brasileira de Dermatologia, como parte da ação da campanha do Dezembro Laranja, disponibiliza uma Calculadora de Risco do câncer de pele. Lembrando que o diagnóstico só pode ser feito por um profissional e que o teste não substitui a consulta a um médico dermatologista.

IMPORTÂNCIA DO PROTETOR SOLAR

Um dos pontos-chave na prevenção contra o câncer de pele é a utilização do filtro solar, que deve ser aplicado todos os dias, independente do clima e mesmo em ambientes fechados. É muito importante também se atentar à quantidade de protetor solar. A recomendação da SBD é de uma colher de chá para todo o rosto e pescoço - duas áreas com grande exposição, por exemplo. Para facilitar a aplicação, a sugestão é medir o produto a partir do tamanho dos dedos indicador e médio, desde a base até a ponta. Essa metodologia leva em conta a divisão do corpo em 11 partes iguais, cada uma correspondente a 9% da superfície corporal, excluindo as genitálias, e que é muito utilizada no atendimento a queimados. O médico Guilherme Gadens lembra ainda que não se deve economizar na quantidade e sugere uma maneira simples de se atingir o FPS aproximado da embalagem: “Uma dica é aplicar uma camada de protetor, aguardar secar e depois passar uma segunda”.

O uso correto do filtro, além de prevenir a doença, também é um dos mais importantes aliados para manter uma pele saudável e bonita e minimizar os efeitos do envelhecimento, como rugas e manchas causadas pelo sol. Na hora de escolher um protetor solar, atenção ao FPS, que deve ser de, pelo menos, 30 ou superior. “Como costumamos aplicar menos produto do que o ideal, acabamos tendo uma proteção inferior a que consta na embalagem”, fala o dermatologista. Por isso, deve-se optar por um FPS maior para garantir que a pele estará protegida.


você também vai gostar